18 de fevereiro – Dia Internacional da Síndrome de Asperger

Divulgação

A síndrome de Asperger é frequentemente considerada uma forma altamente funcional de autismo. Diferentemente do autismo clássico, quem tem Asperger não apresenta comprometimento intelectual e retardo cognitivo. Por isso, os primeiros sintomas e sinais do distúrbio costumam ser ignorados pelos pais.

Os primeiros sintomas e sinais da síndrome de Asperger podem aparecer nos primeiros anos de vida da criança, mas raramente são valorizados pelos pais como algo negativo, especialmente se as manifestações forem leves. A grande maioria dos diagnósticos é feita na fase escolar, quando a dificuldade de socialização, considerada a característica mais significativa do distúrbio, manifesta-se com maior intensidade, juntamente com o desinteresse por tudo que não se relacione com o hiperfoco de atenção.

Quais são as características das pessoas portadoras da Síndrome de Asperger?

  • Interesses específicos e restritos ou preocupações com um tema em detrimento de outras atividades;
  • Rituais ou comportamentos repetitivos;
  • Peculiaridades na fala e na linguagem;
  • Comportamento social e emocionalmente impróprio e problemas de interação social;
  • Problemas com comunicação (não há comprometimento da linguagem, estritamente falando);
  • Transtornos motores, movimentos desajeitados e descoordenados;
  • Apresentar um Q.I. verbal significativamente mais elevado que o não-verbal;
  • Dificuldades em relacionamentos – sente dificuldade em fazer amigos, conseguir parceiros, desinteresse sexual e afetivo por outrem;
  • Às vezes, as pessoas com SA podem ser consideradas rudes, frias nos seus comportamentos, mas, na verdade, é só seu modo de tentar reagir ou entender ações;
  • Apresentar dificuldade em compreender as mensagens transmitidas por meio da linguagem corporal, não consegue “ler” as intenções do outro;
  • Comportamentos variáveis, ora como uma pessoa adulta, ora como uma criança;
  • Fazer tudo da maneira que acha mais confortável, sem se importar com a opinião alheia. Isto é válido principalmente em relação à forma de se vestir e aos cuidados com a própria aparência;
  • Amor e rancor recíproco – como reagem mais pragmaticamente do que emocionalmente, suas expressões de afeto e rancor podem ser curtas e fracas;
  • Pessoas com SA sentem-se compelidas a corrigir erros, ou aquilo que pensam estar errado, mesmo que não conheçam bem o assunto que corrigem. Por isso, podem parecer ofensivos;
  • Pessoas com SA tipicamente, tem um modo de falar “pedante”, usando um registro formal muitas vezes impróprio para o contexto; e
  • A interpretação literal é outro traço comum, tendo dificuldade em identificar ironias, gírias, sarcasmos e metáforas.

Por essas razões, é muito importante apoiar a criança com Síndrome de Asperger, para que ela possa lidar com as situações do cotidiano, e para que não venha a isolar-se. Assim como é igualmente importante orientar as demais crianças sobre as características das crianças com SA, para que as entendam melhor e as ajudem a se sentirem incluídas, respeitadas e estimadas.

Divulgação