Engenharia de Software (CURSO NOVO)

Dados do curso

Criação Turno Regime Vagas Duração
2016 Noturno Semestral 50 8 semestres (4 anos)
Habilitação Título
Bacharelado em Engenharia de Software Engenheiro de Software

Aspectos Legais de Criação do Curso

Curso aprovado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) e Conselho Universitário do Centro Universitário Municipal de Franca – Uni-FACEF para ser oferecido a partir do primeiro semestre de 2017.

Atuação

O engenheiro de software pode exercer os seguintes cargos em empresas que desenvolvem ou se utilizam de software: Gerente de projeto; Analista de negócio; Desenvolvedor de aplicativos para web, para dispositivos móveis e games; Analista programador, Analista de teste; Arquiteto de software; Analista de qualidade; Analista de configuração; Analista de implantação; Analista de requisitos; Analista de Manutenção; Administrador de banco de dados.

Grade Curricular

1º semestre
Disciplina C.H.
Introdução a Computação 66
Algoritmo e Lógica de Programação I 66
Programação de Computadores I 66
Cálculo Diferencial e Integral 66
Comunicação e Expressão I 33
Metodologia de Pesquisa Científica I 33

Total

330
3º semestre
Disciplina C.H.
Engenharia de Software II 66
Estrutura de Dados I 66
Banco de Dados I 66
Interação Humano Computador I 33
Programação Orientada a Objetos 66
Empreendedorismo I 33

Total

330
5º semestre
Disciplina C.H.
Qualidade de Software 66
Programação com Banco de Dados 66
Desenvolvimento de Software para Web I 33
Arquitetura e Organização de Computadores 66
Desenvolvimento de Software para Dispositivos Móveis I 33
Redes de Computadores 66

Total

330
7º semestre
Disciplina C.H.
Desenvolvimento de Jogos Digitais I 33
Teoria da Computação 66
Projetos em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação em Engenharia de Software I 66
Gerenciamento de Configuração de Software 66
Direito Aplicado a Computação 33
Teste de Software 66
Total 330

2º semestre
Disciplina C.H.
Engenharia de Software I 66
Algoritmo e Lógica de Programação II 66
Programação de Computadores II 66
Matemática Discreta 66
Comunicação e Expressão II 33
Metodologia de Pesquisa Científica II 33

Total

330
 4º semestre
Disciplina C.H.
Gestão de Projetos 66
Estrutura de Dados II 66
Banco de Dados II 66
Interação Humano Computador II 33
Padrões de Projeto 66
Empreendedorismo II 33

Total

330
6º semestre
Disciplina C.H.
Arquitetura de Software 66
Mineração de Dados 66
Desenvolvimento de Software para Web II 33
Sistemas Distribuídos 33
Desenvolvimento de Software para Dispositivos Móveis II 33
Probabilidade 33
Sistemas Operacionais 66

Total

330
8º semestre
Disciplina C.H.
Desenvolvimento de Jogos Digitais II 33
Inteligência Artificial 66
Projetos em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação em Engenharia de Software II 33
Manutenção de Software e Engenharia de Segurança 66
 Integração de Aplicações e Programação Concorrente  66
Verificação e Validação de Software 66

Total

330

Total de Horas: 2640 horas

Estágio Supervisionado (a partir do quinto semestre letivo): 360 horas

Atividades Complementares (a partir do primeiro semestre letivo): 140 horas

Trabalho de Conclusão de Curso (a partir do sexto semestre): 100 horas

Total Geral: 3240 horas

Fale com o coordenador

engenhariasoftware@facef.br

Benefícios para Sociedade

Todo usuário interage (via mouse, microfone, teclado, câmera, tela sensível, etc.) com o software e este, por sua vez, interage com o hardware dos computadores. O software desempenha um papel central em quase todos os aspectos da vida cotidiana, no governo, bancos e finanças, educação, transporte, entretenimento, medicina, agricultura, indústria e direito, entre outros. Softwares, inclusive, mantêm funcionando os vários serviços eletrônicos e programas sociais de larga escala dos governos, o fornecimento de energia elétrica, as redes de telecomunicações, os serviços de transporte aéreo, os caixas eletrônicos dos bancos, os cartões de crédito, as bolsas de valores e mercadorias, e muito mais. Os produtos de software têm ajudado a sociedade quanto à eficiência e à produtividade. Eles permitem solucionar problemas de forma mais eficaz e fornecem um ambiente muitas vezes, mais seguro, mais flexível e mais aberto. Os produtos de software estão entre os mais complexos dos sistemas artificiais, e software, por sua própria natureza, tem ainda propriedades essenciais intrínsecas (por exemplo, a complexidade, a invisibilidade e a mutabilidade), que não são fáceis de serem dominadas. (MEC, 2012).

Perfil dos Egressos

Levando em consideração a flexibilidade necessária para atender domínios diversificados de aplicação e para as vocações das Instituições, espera-se dos egressos dos cursos de Engenharia de Software que:

  1. Possuam uma sólida formação em Ciência da Computação, Matemática e Produção, visando a criação de sistemas de software de alta qualidade de maneira sistemática, controlada, eficaz e eficiente que levem em consideração questões éticas, sociais, legais e econômicas;
  2. Possuam a capacidade de criar soluções, individualmente ou em equipe, para problemas complexos que tenham muitas relações entre domínios de conhecimento e de aplicação;
  3. Possuam a capacidade de ser reflexivos na construção de software por entender que eles atingem direta ou indiretamente as pessoas;
  4. Entendam o contexto social no qual a construção de Software é praticada, bem como os efeitos dos projetos de software na Sociedade;
  5. Entendam os aspectos econômicos e financeiros, associados a novos produtos e organizações;
  6. Entendam a importância da inovação e da criatividade e entendam as perspectivas de negócios e oportunidades relevantes.

Competências e Habilidades Especificas dos Egressos

Levando em consideração a flexibilidade necessária para atender domínios diversificados de aplicação e para as vocações das Instituições, o curso de Bacharelado em Engenharia de Software deve possibilitar uma formação profissional que revele, pelo menos, as habilidades e competências para:

  1. Investigar, compreender e estruturar as características de domínios de aplicação em diversos contextos;
  2. Compreender e aplicar processos, técnicas e procedimentos de construção de software;
  3. Analisar e selecionar tecnologias adequadas para a construção de software;
  4. Conhecer os direitos e propriedades intelectuais inerentes à produção e utilização de software;
  5. Avaliar a qualidade de sistemas de software;
  6. Integrar sistemas de software;
  7. Gerenciar projetos de software;
  8. Aplicar adequadamente normas técnicas;
  9. Qualificar e quantificar seu trabalho baseado em experiências e experimentos;
  10. Exercer múltiplas atividades relacionadas a software como: desenvolvimento, evolução, consultoria, negociação, ensino e pesquisa;
  11. Conceber, aplicar e validar princípios, padrões e boas práticas no desenvolvimento de software;
  12. Analisar e criar modelos relacionados ao desenvolvimento de software;
  13. Identificar novas oportunidades de negócios e desenvolver soluções inovadoras.

Formação Tecnológica Específica dos Cursos de Bacharelado em Engenharia de Software

Os Cursos devem escolher e trabalhar conteúdos tecnológicos de forma aprofundada ou abrangente coerentemente com o perfil, as competências e as habilidades especificadas pelas Instituições para os egressos. Os cursos devem, também, escolher e trabalhar um conjunto de conteúdos básicos que suportam a formação tecnológica, coerentemente com a abrangência e profundidade com que cada conteúdo tecnológico deve ser trabalhado. Os conteúdos tecnológicos e básicos são:

  • Paradigmas e Ferramentas para Construção de Software;
  • Requisitos, Arquitetura e Desenho de Software;
  • Gerência de Projetos e de Configuração;
  • Evolução de Software;
  • Engenharia Econômica;
  • Engenharia de Qualidade;
  • Práticas de Comunicação;
  • Relações Humanas de Trabalho;
  • Dinâmica e Psicologia de Grupo;
  • Impactos sociais da tecnologia de software;
  • Empreendedorismo;
  • Modelagem, Simulação e Otimização em Engenharia de Software;
  • Tratamento e Armazenamento de Informação.
  • Planejamento e Controle do Software;
  • Estratégias de Observação e Experimentação;
  • Normatização e Certificação de Qualidade;
  • Confiabilidade de Processos, Produtos e Serviços;
  • Pesquisa operacional;
  • Gestão de Conhecimento, Estratégica e Organizacional;