Sistemas de Avaliação

O curso de Sistemas de Informação do Centro Universitário Municipal de Franca possui múltiplos instrumentos de avaliação. As avaliações são realizadas por meio de seminários, fichamentos, participações, debates, trabalhos de resumo, resenha e fichamentos, dramatizações, escrita de artigos e de pesquisas cientifica, TCC. Conta ainda com o TISI (Trabalho Interdisciplinar de Sistemas de Informação) no segundo e no quarto semestres letivos.

O aluno deve apresentar ao final do semestre, a média mínima 6,0 (seis) pontos por disciplina e, ainda 75% (setenta e cinco por cento) de freqüência em cada disciplina. Não obtendo esses índices, fica em regime de dependência. O aluno poderá carregar 04 (quatro) disciplinas, em regime de dependência, para o semestre seguinte. São atribuídas duas médias por semestre, compostas em cada disciplina, por no mínimo, dois instrumentos de avaliação, em cada bimestre, sendo uma prova escrita individual e por qualquer outro instrumento de avaliação.

As provas de dependência e de provas de adaptação e também os trabalhos relativos a esses processos são organizados e agendados pelos próprios professores, nos dois bimestres do semestre e afixados nos murais das salas de aula.Também nas provas de dependência e de adaptação a média bimestral a ser atingida pelos alunos deve ser 6,0 (seis ) pontos.

Teste de Progressão Individual (TPI)

É uma prova realizada no final de cada semestre letivo valendo 1.0 ponto na média do segundo bimestre e contendo questões de todas as disciplinas da turma no semestre.

Disciplinas com 4 horas/aula por semana compõem o TPI com 3 questões, enquanto que disciplinas com 2 horas/aula compõem o teste com 2 questões cada.

Práticas Formais de Avaliação

As avaliações do processo ensino-aprendizagem são realizadas conforme estratégias metodológicas previstas nos planos de ensino, observando-se alguns dos seguintes critérios:

  • provas parciais;
  • avaliações bimestrais;
  • avaliações substitutivas;
  • seminários, envolvendo temas emergentes;
  • interpretação de textos, com o objetivo de desenvolver no aluno habilidades de interpretação, raciocínio e poder de síntese;
  • estudos de casos – desenvolvimento de estudo de casos práticos;
  • trabalhos com discussões de relatórios, em função de um estudo de caso de artigo, revistas, jornais ou vídeos em que se discutem as conclusões dos grupos;
  • pesquisas diversas – coleta e análise de informações conjunturais;
  • pesquisas via Internet – acesso de seus usuários às informações constantes de seus bancos de dados;
  • avaliação de relatórios de Práticas orientadas internas e externas;
  • avaliação de atividades extra classe realizadas em períodos de temporadas, recesso e férias, através de relatórios e acompanhamento de profissionais e do Coordenador de Práticas orientadas;
  • simulação e criação de empresas – aplicação da teoria à prática, inclusive utilizando-se a interdisciplinaridade; e
  • estágio supervisionado, solidifica a aplicação da teoria à prática, baseado na lei nº. 6494 de 07/12/97 e no Decreto nº. 87497 de 18/08/82, conforme manual do estagiário.

Com este elenco de atividades, os professores do Uni-FACEF procuram formar o graduando com o perfil ideal para o mercado de trabalho.